Psiquiatria

A psiquiatria consiste em uma especialidade médica relacionada com a prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação das diferentes formas de transtornos mentais, emocionais e do comportamento.

Consulta com psiquiatra em clínica de psiquiatria.

O que é um psiquiatra?

Existem duas formas para que um clínico geral receba o título de psiquiatra. A primeira delas é através de um concurso público para residência médica em psiquiatria cuja formação dura três anos e compreende uma carga horária semanal de 60 horas distribuídas entre seminários, assistência monitorada por um staff e outras atividades científicas, além da graduação de seis anos em medicina. A segunda forma consiste na realização de uma prova da Associação Brasileira de Psiquiatria.

Todos os psiquiatras do INCB passaram pela residência médica o que contribui com uma maior bagagem teórica e prática de assistência supervisionada.

Quais as doenças que o psiquiatra trata?

Ainda hoje, existe muito estigma relacionado aos transtornos mentais. Uma imagem comum e equivocada quando se menciona psiquiatra no meio popular é a de “médico de loucos”. A psiquiatria é uma ciência que engloba desde quadros mais leves como insônia até quadros mais graves como esquizofrenia e demências.

Entre os principais transtornos psiquiátricos, podemos citar: depressão, transtorno de humor bipolar, insônia, transtornos de ansiedade (dentre os quais o transtorno de pânico, transtorno de ansiedade generalizada – TAG, transtorno de estresse pós-traumático – TEPT e fobias), TDAH, transtorno obsessivo compulsivo, transtornos alimentares (como por exemplo, anorexia, bulimia e transtorno de compulsão alimentar), demências (por exemplo Demência na Doença de Alzheimer), dependência química (alcoolismo, tabagismo e outras substâncias), esquizofrenia e outros quadros psicóticos, transtornos de personalidade (borderline, histriônica, narcisista, evitativa, obsessiva/anancástica, entre outras), déficit cognitivo/retardo mental, autismo/transtornos do espectro autista, tiques e outros transtornos.

Quando uma pessoa precisa de um psiquiatra?

Em qualquer situação na qual o indivíduo observar uma alteração do humor (ansiedade, tristeza, irritabilidade, indiferença…), sono, apetite, funções cognitivas (atenção, memória e concentração), desesperança e mudanças de comportamentos que gerem um prejuízo funcional em qualquer área da vida (pessoal, laboral e social).

Como é feita a avaliação com psiquiatra?

O diagnóstico em psiquiatria é essencialmente clínico com base na história de vida e nas alterações de comportamento, emoções e pensamentos. Os exames complementares tais como bioquímica (hemograma, função tireoidiana/renal/hepática…) e ressonância de crânio, entre outros exames de imagem, são utilizados para descartar outras causas que possam justificar os sintomas psiquiátricos tais como anemia, hipotireoidismo e carências de vitaminas.

Como é o tratamento psiquiátrico?

O tratamento psiquiátrico clássico consiste no uso de medicações psicotrópicas tais como os antidepressivos, estabilizadores de humor, psicoestimulantes, neurolépticos e benzodiazepínicos. Não obstante, o tratamento psiquiátrico não se limita ao uso de medicações e incluí à psicoterapia, prática regular de atividade física e técnicas de meditação ou atenção plena, neuromodulação como por exemplo a estimulação magnética transcraniana (EMTr), acupuntura, reeducação alimentar e higiene do sono.

Quais os benefícios da psiquiatria?

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, buscar um tratamento psiquiátrico não é um sinal de fraqueza, é você enfrentar o problema de frente e buscar recursos para melhorar seu bem estar e sua saúde física e emocional. A maioria das medicações psiquiátricas não causam dependência e podem ser usadas com segurança desde que sejam prescritas por um profissional qualificado.

Como escolher um psiquiatra?

O primeiro passo para escolher um psiquiatra é certificar-se de que o profissional possui registro ativo no Conselho Federal de Medicina e de fato é um psiquiatra (vide CRM-DF). Alguns clínicos assinam como psiquiatras em seu carimbo, porém não tem formação em psiquiatria.

Caso não conheça nenhum psiquiatra, peça indicação para um psicólogo, clínico geral ou outro médico especialista, ou para alguma pessoa de confiança que esteja em tratamento psiquiátrico.

Uma boa formação acadêmica é importante contudo não basta ter um currículo brilhante e não criar um bom vínculo com o paciente.

Qual a diferença entre psiquiatra e psicólogo?

A psiquiatria é uma especialidade da medicina, assim como é a endocrinologia, cardiologia e neurologia. O psiquiatra está habilitado para fazer o diagnóstico e o tratamento medicamentoso de transtornos mentais.
Dentro da psiquiatria existem áreas de atuação como psicoterapia, psiquiatria da infância e da adolescência, psicogeriatria e psiquiatria forense.

Já a psicologia, de acordo com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), é classificada como parte das Ciências Humanas. Junto com áreas como a Sociologia, Antropologia, Filosofia e História, e ciência que trata dos estados e processos mentais, do comportamento do ser humano e de suas interações com um ambiente físico e social. Não obstante, a psicologia, com o advento das neurociências, também engloba conhecimentos da área de saúde.

O psicólogo pode atuar em psicoterapias, avaliação neuropsicológica, testes projetivos de personalidade (por exemplo o teste de Rorschach), orientação vocacional, psicologia hospitalar, psicologia organizacional, entre outras.

A Psicoterapia tem a função de oferecer um espaço protegido ao indivíduo que se encontra em sofrimento. Nesse espaço é possível construir um trabalho em conjunto com o paciente, possibilitando, assim, uma ressignificação de eventos traumáticos, uma reflexão sobre padrões de respostas adoecedoras, além de investir no desenvolvimento de habilidades que amenizem o seu sofrimento por meio do seu enfrentamento.

O tratamento psiquiátrico e psicológico/psicoterápico são complementares.

Compartilhe:
WhatsApp chat