Síndrome de Burnout

Síndrome de Burnout

O que é?

A síndrome de burnout é um processo iniciado com excessivos e prolongados níveis de estresse associados ao trabalho.

O termo burnout é definido, segundo um jargão inglês, como aquilo que deixou de funcionar por absoluta falta de energia. Metaforicamente é aquilo, ou aquele, que chegou ao seu limite, com grande prejuízo em seu desempenho físico ou mental.

Outros sinônimos para a síndrome de burnout são “Sensação de Estar Acabado” ou “Síndrome do Esgotamento Profissional”, porém, na CID-10 não há uma classificação específica para essa condição, que está atualmente enquadrada no código Z73.0.

Características

A síndrome de burnout está associada à 3 dimensões de sintomas:

  1. Sentimentos de exaustão ou baixa de energia: Abrange sentimentos de desesperança, solidão, raiva, impaciência, irritabilidade, tensão, diminuição de empatia, sensação de baixa energia, fraqueza, preocupação; aumento da suscetibilidade para doenças, cefaleias, náuseas, tensão muscular, dor lombar ou cervical, distúrbios do sono.
  2. Distanciamento mental e negativismo relacionados ao trabalho: Provoca a sensação de alienação em relação aos outros, sendo a presença destes muitas vezes desagradáveis e não desejada pelo paciente.
  3. Reduzida eficácia e realização profissional: Geralmente é descrita como uma sensação de que muito pouco tem sido alcançado e o que é realizado não tem valor.

Em quem ocorre?

O burnout é comum em profissionais que atuam sob pressão, geralmente em relação de ajuda ou relação interpessoal, como profissionais de saúde e professores.

Atualmente no contexto de pandemia, o burnout tem sido observado em diversas profissões, mas muito comuns em técnicos de enfermagem, médicos e toda equipe que assiste ao paciente em serviços que atendem COVID-19. Acompanhamos profissionais de saúde com sintomas de burnout nos noticiários nos hospitais de Manaus, por exemplo, onde o contexto de estresse, condições de trabalho muito difíceis, trazem sensação de incapacidade, experiência de fracasso e sobrecarga emocional.

Consequências do Burnout

Em relação às consequências do burnout, o indivíduo pode apresentar cansaço excessivo, dores musculares, dor de cabeça, alteração do apetite, alteração do sono, dificuldade de concentração, sentimento de cansaço, derrota, desesperança, insegurança e sensação de incompetência, alteração de humor e isolamento.

Pode ocorrer ainda o surgimento de agressividade, dificuldade para relaxar e aceitar mudanças; perda de iniciativa; consumo de substâncias.

Em relação ao trabalho, pode ocorrer diminuição na qualidade por mau atendimento, procedimentos equivocados, negligência e imprudência. A predisposição a acidentes aumenta devido à falta de atenção e concentração.

Na vida pessoal e familiar, o indivíduo acometido por burnout pode provocar distanciamento dos familiares, até de filhos e cônjuge.

Associação com Transtornos Psiquiátricos

A síndrome de burnout pode ocorrer em associação a transtornos psiquiátricos, sendo mais comumente observada a depressão, transtornos de ansiedade, abuso/dependência ao álcool e outras substâncias ilícitas e transtornos psicossomáticos.

Dentre os fatores que predispõe a associação de burnout com outros transtornos psiquiátricos, incluem altos níveis de exigência psicológica, baixos níveis de liberdade de decisão e de apoio social no trabalho e estresse devido a trabalho.

Tratamento da Síndrome de Burnout

O tratamento para essa condição geralmente envolve psicoterapia e, em alguns casos, pode ser indicado o uso de psicofármacos para tratamento de transtornos psiquiátricos, quando estiverem associados ao quadro.

Outras medidas que podem ajudar no tratamento e prevenção incluem definição de objetivos e etapas no trabalho, evitar contato com pessoas negativas no ambiente laboral, estimular atividades de lazer com amigos e familiares, prática de atividades físicas regulares, meditação, Mindfulness e técnicas de relaxamento e procurar não se isolar, buscando apoio de amigos e familiares e/ou ajuda profissional.

Gabriela Cristina de Souza Camargo
Médica Psiquiatra

O que é?

A síndrome de burnout é um processo iniciado com excessivos e prolongados níveis de estresse associados ao trabalho.

O termo burnout é definido, segundo um jargão inglês, como aquilo que deixou de funcionar por absoluta falta de energia. Metaforicamente é aquilo, ou aquele, que chegou ao seu limite, com grande prejuízo em seu desempenho físico ou mental.

Outros sinônimos para a síndrome de burnout são “Sensação de Estar Acabado” ou “Síndrome do Esgotamento Profissional”, porém, na CID-10 não há uma classificação específica para essa condição, que está atualmente enquadrada no código Z73.0.

Características

A síndrome de burnout está associada à 3 dimensões de sintomas:

  1. Sentimentos de exaustão ou baixa de energia: Abrange sentimentos de desesperança, solidão, raiva, impaciência, irritabilidade, tensão, diminuição de empatia, sensação de baixa energia, fraqueza, preocupação; aumento da suscetibilidade para doenças, cefaleias, náuseas, tensão muscular, dor lombar ou cervical, distúrbios do sono.
  2. Distanciamento mental e negativismo relacionados ao trabalho: Provoca a sensação de alienação em relação aos outros, sendo a presença destes muitas vezes desagradáveis e não desejada pelo paciente.
  3. Reduzida eficácia e realização profissional: Geralmente é descrita como uma sensação de que muito pouco tem sido alcançado e o que é realizado não tem valor.

Em quem ocorre?

O burnout é comum em profissionais que atuam sob pressão, geralmente em relação de ajuda ou relação interpessoal, como profissionais de saúde e professores.

Atualmente no contexto de pandemia, o burnout tem sido observado em diversas profissões, mas muito comuns em técnicos de enfermagem, médicos e toda equipe que assiste ao paciente em serviços que atendem COVID-19. Acompanhamos profissionais de saúde com sintomas de burnout nos noticiários nos hospitais de Manaus, por exemplo, onde o contexto de estresse, condições de trabalho muito difíceis, trazem sensação de incapacidade, experiência de fracasso e sobrecarga emocional.

Consequências do Burnout

Em relação às consequências do burnout, o indivíduo pode apresentar cansaço excessivo, dores musculares, dor de cabeça, alteração do apetite, alteração do sono, dificuldade de concentração, sentimento de cansaço, derrota, desesperança, insegurança e sensação de incompetência, alteração de humor e isolamento.

Pode ocorrer ainda o surgimento de agressividade, dificuldade para relaxar e aceitar mudanças; perda de iniciativa; consumo de substâncias.

Em relação ao trabalho, pode ocorrer diminuição na qualidade por mau atendimento, procedimentos equivocados, negligência e imprudência. A predisposição a acidentes aumenta devido à falta de atenção e concentração.

Na vida pessoal e familiar, o indivíduo acometido por burnout pode provocar distanciamento dos familiares, até de filhos e cônjuge.

Associação com Transtornos Psiquiátricos

A síndrome de burnout pode ocorrer em associação a transtornos psiquiátricos, sendo mais comumente observada a depressão, transtornos de ansiedade, abuso/dependência ao álcool e outras substâncias ilícitas e transtornos psicossomáticos.

Dentre os fatores que predispõe a associação de burnout com outros transtornos psiquiátricos, incluem altos níveis de exigência psicológica, baixos níveis de liberdade de decisão e de apoio social no trabalho e estresse devido a trabalho.

Tratamento da Síndrome de Burnout

O tratamento para essa condição geralmente envolve psicoterapia e, em alguns casos, pode ser indicado o uso de psicofármacos para tratamento de transtornos psiquiátricos, quando estiverem associados ao quadro.

Outras medidas que podem ajudar no tratamento e prevenção incluem definição de objetivos e etapas no trabalho, evitar contato com pessoas negativas no ambiente laboral, estimular atividades de lazer com amigos e familiares, prática de atividades físicas regulares, meditação, Mindfulness e técnicas de relaxamento e procurar não se isolar, buscando apoio de amigos e familiares e/ou ajuda profissional.

Gabriela Cristina de Souza Camargo
Médica Psiquiatra

Agende fácil pelo whatsapp
Agende agora no whatsapp
Agende agora no whatsapp

Destaques

Leia mais…

INCB Instituto de Neurociências de Brasília CRM 3424-DF

Clínica Legalizada e Registrada

clinica de psiquiatria em brasilia df

RESPONSÁVEL TÉCNICO:
Dra. Fabíola Leão
CRM-DF 16715 | RQE 10665

Médicos Psiquiatras com RQE
Registro de Qualificação de Especialista

Medico psiquiatra Brasilia df RQE

CONTATO E LOCALIZAÇÃO

Central de Atendimento (61) 3548-8113 Celular e Whatsapp (61) 99606-0635 Asa Sul – Brasília DF Centro Médico Lúcio Costa SGAS 610 Bloco 2, Salas 229, 230 e 231 Acesso preferencial pela L3 Lolcalização no Google Maps

As informações contidas neste website têm caráter meramente informativo e educacional e não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte seu médico, porque somente ele está habilitado a fazer o diagnóstico e a prescrição terapêutica.

INCB Instituto de Neurociências de Brasília CRM 3424-DF

Clínica Legalizada e Registrada

clinica de psiquiatria em brasilia df

RESPONSÁVEL TÉCNICO: Dra. Fabíola Leão CRM-DF 16715 | RQE 10665

Médicos Psiquiatras com RQE no CRM Registro de Qualificação de Especialista

Medico psiquiatra Brasilia df RQE

CONTATO E LOCALIZAÇÃO

Central de Atendimento (61) 3548-8113 Celular e Whatsapp (61) 99606-0635 SGAS 610, Bloco 2, Salas 229, 230 e 231 Centro Médico Lúcio Costa, Asa Sul, Brasília DF Acesso preferencial pela L3 Como chegar: Rotas Google Mapspsiquiatra em brasilia df - 2 maps Uber  Psiquiatra em brasilia INCB - uber 2 Waze waze logo icon

As informações contidas neste website têm caráter meramente informativo e educacional e não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte seu médico, porque somente ele está habilitado a fazer o diagnóstico e a prescrição terapêutica.