Rede de Apoio Social e Familiar

Rede de Apoio Social e Familiar

O fortalecimento dos vínculos sociais, quaisquer que sejam – família, amigos, grupos religiosos e comunitários -, representa fator de proteção para a saúde mental.

O bom convívio social promove estímulo favorável para o cérebro, através da troca de novas informações, vivências e experiências afetivas, e facilita o crescimento e amadurecimento pessoal, o aprendizado e a memória.

Também contribui para um desenvolvimento da empatia, assim como para uma melhoria na capacidade de resolução de problemas e tomada de decisões. Consequentemente, o bom convívio social também auxilia na expressão de comportamentos mais adaptados, melhorando as habilidades sociais e reduzindo a vulnerabilidade ao estresse.

O suporte social e, principalmente, familiar é um pilar importante no tratamento dos quadros psiquiátricos. Os familiares desempenham um papel especial no acompanhamento do tratamento de seu parente, pelo contato mais próximo com a realidade de dor e sofrimento do mesmo. Eles podem contribuir para a redução dessa carga, tornando menos penoso o enfrentamento de situações estressoras diárias e das próprias dificuldades inerentes à doença.

A melhor forma de contribuir para alcançar o objetivo principal (sucesso terapêutico, com restabelecimento da saúde mental) se dá, inicialmente, através da busca de informações consistentes a respeito do transtorno psiquiátrico e do tratamento, demonstrando interesse genuíno em compreender e aceitar o que está acontecendo e buscar auxiliar em sua recuperação, num ambiente amoroso e acolhedor, com paciência e respeito.

Além disso, é extremamente necessário evitar julgamentos, comentários preconceituosos, desqualificações, invalidações e também cobranças exageradas ao exigir esforço (“força de vontade”) e melhora rápida. Em contrapartida, nada melhor do que incentivar a cumprir as recomendações, encorajar a prática de hábitos saudáveis de vida, e, principalmente, enaltecer e enfatizar cada etapa de melhora e esforço advindo do paciente.

É mais fácil acreditarmos na recuperação quando percebemos que aqueles que estão ao nosso redor torcem pelo nosso sucesso.


Autor: Dra. Fabíola Leão

O fortalecimento dos vínculos sociais, quaisquer que sejam – família, amigos, grupos religiosos e comunitários -, representa fator de proteção para a saúde mental.

O bom convívio social promove estímulo favorável para o cérebro, através da troca de novas informações, vivências e experiências afetivas, e facilita o crescimento e amadurecimento pessoal, o aprendizado e a memória.

Também contribui para um desenvolvimento da empatia, assim como para uma melhoria na capacidade de resolução de problemas e tomada de decisões. Consequentemente, o bom convívio social também auxilia na expressão de comportamentos mais adaptados, melhorando as habilidades sociais e reduzindo a vulnerabilidade ao estresse.

O suporte social e, principalmente, familiar é um pilar importante no tratamento dos quadros psiquiátricos. Os familiares desempenham um papel especial no acompanhamento do tratamento de seu parente, pelo contato mais próximo com a realidade de dor e sofrimento do mesmo. Eles podem contribuir para a redução dessa carga, tornando menos penoso o enfrentamento de situações estressoras diárias e das próprias dificuldades inerentes à doença.

A melhor forma de contribuir para alcançar o objetivo principal (sucesso terapêutico, com restabelecimento da saúde mental) se dá, inicialmente, através da busca de informações consistentes a respeito do transtorno psiquiátrico e do tratamento, demonstrando interesse genuíno em compreender e aceitar o que está acontecendo e buscar auxiliar em sua recuperação, num ambiente amoroso e acolhedor, com paciência e respeito.

Além disso, é extremamente necessário evitar julgamentos, comentários preconceituosos, desqualificações, invalidações e também cobranças exageradas ao exigir esforço (“força de vontade”) e melhora rápida. Em contrapartida, nada melhor do que incentivar a cumprir as recomendações, encorajar a prática de hábitos saudáveis de vida, e, principalmente, enaltecer e enfatizar cada etapa de melhora e esforço advindo do paciente.

É mais fácil acreditarmos na recuperação quando percebemos que aqueles que estão ao nosso redor torcem pelo nosso sucesso.


Autor: Dra. Fabíola Leão

Agende fácil pelo whatsapp
Agende agora no whatsapp
Agende agora no whatsapp

Destaques

Leia mais…

INCB Instituto de Neurociências de Brasília CRM 3424-DF

Clínica Legalizada e Registrada

clinica de psiquiatria em brasilia df

RESPONSÁVEL TÉCNICO:
Dra. Fabíola Leão
CRM-DF 16715 | RQE 10665

Médicos Psiquiatras com RQE
Registro de Qualificação de Especialista

Medico psiquiatra Brasilia df RQE

CONTATO E LOCALIZAÇÃO

Central de Atendimento (61) 3548-8113 Celular e Whatsapp (61) 99606-0635 Asa Sul – Brasília DF Centro Médico Lúcio Costa SGAS 610 Bloco 2, Salas 229, 230 e 231 Acesso preferencial pela L3 Lolcalização no Google Maps

As informações contidas neste website têm caráter meramente informativo e educacional e não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte seu médico, porque somente ele está habilitado a fazer o diagnóstico e a prescrição terapêutica.

INCB Instituto de Neurociências de Brasília CRM 3424-DF

Clínica Legalizada e Registrada

clinica de psiquiatria em brasilia df

RESPONSÁVEL TÉCNICO: Dra. Fabíola Leão CRM-DF 16715 | RQE 10665

Médicos Psiquiatras com RQE no CRM Registro de Qualificação de Especialista

Medico psiquiatra Brasilia df RQE

CONTATO E LOCALIZAÇÃO

Central de Atendimento (61) 3548-8113 Celular e Whatsapp (61) 99606-0635 SGAS 610, Bloco 2, Salas 229, 230 e 231 Centro Médico Lúcio Costa, Asa Sul, Brasília DF Acesso preferencial pela L3 Como chegar: Rotas Google Mapspsiquiatra em brasilia df - 2 maps Uber  Psiquiatra em brasilia INCB - uber 2 Waze waze logo icon

As informações contidas neste website têm caráter meramente informativo e educacional e não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte seu médico, porque somente ele está habilitado a fazer o diagnóstico e a prescrição terapêutica.